Tema muito difícil de abordagem, os maiores filósofos tentaram de certa forma descobrir, ou melhor, definir verdades absolutas, sei que muitos devem ter queimado toda a espectativa para chegar a verdade, Isso é questionável, fato é que todos nós que estamos na rede social tem a sua verdade é a sua verdade, pronto….
Aquele amigo que você tem teclado com ele tem a verdade diferente da sua, ele pode até aceitar o ponto de vista seu em relação a verdade, somos educados, não é por ser satanistas que temos que ser mal educados, podemos inclusive entrar em debate com esta pessoa, espondo nosso ponto de vista, mas respeitamos o ponto de vista dos outros, é a verdade dele que esta a defender e voce a sua, é para isso que estudamos a filosofia, livros, PDFs, vemos videos concernete ao assunto que nós mesmo escolhemos e é desta forma que conseguimos esculpir a nossa verdade, somos seres pensantes! Dotados de inteligencia, podemos aceitar ou não o ponto de vista do amigo ou colega, consequentemente ele, em relação ao nosso ponto de vista, mas o que acho mais interessante nisso tudo, é que um questionador, sempre irá estudar, ou procurar conhecer o ponto de vista daquele que apresenta o seu, isso acontece a todos aqueles que não faz de sua verdade, uma verdade “Absoluta”.
Acho que cada um de nós nos lembramos de toda a nossa caminhada para o “Evoluir” quando iniciamos neste caminho, estamos cheios de informações que nos foi passada durante todo este tempo de vida. Uma coisa que me lembro muito bem, é que o que mais queria era mesmo chegar a verdade, muitos entram por este caminho a fim de se dar muito bem na vida, acham que o que não conseguiram com o Deus que lhes foi apresentado, enfim, cheios de coragem para pedir para ser famosos, ter muito dinheiro, mulheres, opsss… este item não poderia faltar, não é?
E como ja assistiu muitos filmes relacionado a Satã, com pactos, enfim… tudo aquilo que inventam, isso para duas coisa, uma delas é para lhes por medo, a outra coisa é ser record em bilheiteria, esta é a parte principal dos filmes, claro que por trás disso tem o dedo da religião para que tudo se transforme em uma tragédia, claro! Temos que incutir isso nas cabeças das pessoas para elas sempre ter o pressentimento que estão cercadas de anjos e demônios! Diz a alta classe do meio religioso.
Voltando a verdade, era só isso que eu queria saber, mais nada, montei um altar da forma que quem estava a me acompanhar me pediu pra fazer, tinha tres cruzes invertidas neste altar, aquela era a minha verdade, orava a Satã, mas o que eu queria mesmo era a verdade, consegui então pessoas do grupo dar outra ideia do caminho que hora estava a seguir, começaram ai os questionamentos, cada vez mais intenso, busca de conhecimento foi preciso para que eu moldasse a minha verdade, quando sentia que ja conhecia algo, parecia-me mudava-se as regras, era a minha verdade, metade delas foram mudadas, isso me deixava com mais gana de procurar a minha verdade.
Questionava-me muito o porque que a minha verdade não era a verdade do irmão a quem falava sempre, o porque de não bater com a minha verdade, como pode ser diferente se eu sinto que estou com a verdade?
Um detalhe, mesmo a pensar assim, nunca me julguei o dono da verdade, eu que estive quase 7 anos, certo de que estava a seguir uma religião onde se pregam verdades com sendo absolutas, com o depois disso posso acreditar em verdades absolutas?
Quando achava que ja estava mesmo evoluindo, conheci um irmão que nem sei como chegou ao meu perfil, apresentando o luciferianismo, achei um bocado estranho, pois acreditava eu que ja tinha alguma verdade e do modo que ele me falava, ja me imaginava dentro de um sanatório, por muitas vezes brincava com ele e dizia, “voce paga um sanatório aqui em Lisboa para eu ser internado”? Ele sempre muito bem disposto me dizia: “O Papa paga”. Mas eu estava atrás da verdade, não me importaria caminhar um pouco mais, pois eu queria mesmo era onde estava a verdade.
Custasse o que o que fosse, eu pagaria o preço, afinal, não tinha nada a perder… Entreguei-me a busca desta tão sonhada verdade, cada irmão que espusesse seus conhecimentos em um debate, lá estava eu para ler, não para debater, mas para ver o ponto de vista de cada um deles e escolher o ponto de vista que melhor se encaixava naquilo que eu já acreditava e fui formando a minha verdade, mas sem nunca acreditar que é uma verdade absoluta, sempre fui e sou aberto a outras verdades, mesmo que não a sigo, mas é uma verdade de alguém que acredita ser.
Nunca, vocês que estão a iniciar neste caminho, pense que tem uma verdade absoluta, não sejam como muitos que apenas acreditam naquilo que sobrou escrito em um livro que foi adulterado, antes mesmo de existir o seguimento religioso.
Preocupem-se quando acharem que conhecem a verdade e que não precisam mais de conhecimentos, quanto mais achar que sabe de algo, mais terá para aprender sobre outras coisas.
Este é o caminho da evolução, é interiorizar seu conhecimento, buscando novas informações para ali formar a sua verdade. Mas lembre-se sempre, é a tua verdade, não a verdade absoluta, o caminho da mão esquerda é para aqueles que “PODERÁ A QUALQUER MOMENTO TEREM QUE MUDAR DE PARADÍGMA” e o faz sem qualquer constrangimento, tendo convicção de que possa em determinado ponto da estrada encontrado informações que hoje possa não fazer parte daquilo que buscava.
Ter coragem o bastante para reconhecer isto é o passo para buscar mais conhecimento que o levará para fora da Caverna e encontra a Luz do conhecimento pleno, mas não absoluto.
Francisco Oliveira

Anúncios