energia vitalA atitude mental deveria adptar-se ao tipo de afirmação que se aplique: afirmações relacionadas com a vontade, devem ser acompanhadas de uma enérgica determinação; afirmações relacionadas com o sentimento devem ser acompanhadas de devoção; afirmações relacionadas com a razão, devem ser acompanhadas de um claro entendimento. Quando se deseja curar os outros, devemos selecionar um tipo de afirmação que esteja de acordo com o temperamento do paciente, seja este ativo, imaginativo, emotivo ou reflexivo. Condição fundamental na prática de toda afirmação é a intensidade da atenção mas a  continuidade e a repetição também são fatores de considerável importância. Repete atenta e reiteradamente tuas afirmações, saturando-as de devoção, vontade e fé. E não te inquietes pelos resultados: estes haverão de produzir-se naturalmente, como fruto de teus esforços.

        Durante o processo de cura física, a atenção deve concentrar-se nos infinitos poderes da mente e não na enfermidade em si, pois pode debilitar a fé. Quando se trata de superar perturbações mentais, como o medo, a ira, os maus hábitos, etc., a concentração deve fixar-se na qualidade oposta a que se deva  vencer. Por exemplo, para superar o medo deve ser cultivada a consciência da coragem; para superar a ira, a consciência da paz; para superar a fraqueza, a consciência da força. para superar a enfermidade, a consciência da saúde e assim por diante.

ORIGEM MENTAL DAS ENFERMIDADES CRÔNICAS                                                                                                 

        Quando lutamos por recuperar a saúde perdida, freqüentemente tendemos a prestar maior atenção ao poder avassalador da enfermidade em lugar de nos concentrarmos plenamente na possibilidade de curar; desta forma, permitimos que a enfermidade corporal se converta em um hábito tanto mental  como físico. Este fenômeno se manifesta especialmente nas pessoas tensas e apreensivas. Todo pensamento depressivo, todo pensamento de felicidade, de irritabilidade ou de calma, gravam sulcos nas células cerebrais,fortalecendo nossas tendências, seja para a enfermidade ou seja para o bem-estar.

        Nossas subconscientes “idéias-hábitos”, sejam de saúde ou de enfermidade, exercem uma poderosa influência sobre nosso ser. As enfermidades rebeldes – tanto mentais como físicas – possuem sempre uma profunda raiz na mente subconsciente. Para eliminar a enfermidade é necessário arrancar estas raízes ocultas. É por isso que toda afirmação consciente deve ser praticada com a força suficiente a fim de que seja capaz de imprimir sua verdade na mente subconsciente; então, esta última, por sua vez, influirá de forma automática sobre a consciência. Assim, pois, as afirmações vigorosas que se praticam em forma consciente, atuam tanto sobre a mente como sobre o corpo, através da meditação da mente subconsciente. As afirmações efetuadas com uma força ainda maior, alcançam não apenas a mente subconsciente mas também a supraconsciente, provedora mágica de poderes milagrosos.

        Toda afirmação de uma Verdade deve ser praticada aplicando-se nela a vontade, o sentimento, a inteligência e a devoção. Não devemos permitir que a atenção se distraia. É preciso treinar a atenção como se tratasse de uma criança travessa; cada vez que se desviar de seu objetivo, deve ser trazida de regresso e ensiná-la uma e outra vez, em forma repetida e paciente, a concentrar-se na tarefa que lhe designamos.

 

FÉ E ATENÇÃO: DOIS FATORES NECESSÁRIOS                                                       

       Se desejamos que uma afirmação alcance a supraconsciência, esta afirmação deve estar livre de toda dúvida e incerteza. A atenção e a fé operam como faróis, capazes de conduzir até às mentes subconsciente e supraconsciente inclusive aquelas afirmações que se praticam sem uma plena compreensão de seu significado.

        A paciência e a repetição atenta e inteligente, operam maravilhas. As afirmações praticadas para curar perturbações físicas ou mentais crônicas, deveriam ser repetidas com freqüência, profundidade e continuidade, até que cheguem a formar parte integrante de nossas mais profundas convicções intuitivas. Jamais deveríamos prestar qualquer atenção ao fato de que o estado de nossa saúde permaneça estacionário ou  mesmo se agrave. É preferível morrer – se a morte tiver que vir – com a convicção de possuir saúde perfeita, do que com a idéia de que se é vítima de um mal físico ou mental incurável.

        Mesmo quando, de acordo com o conhecimento atual do homem, a morte constitua irrevogavelmente o fim de nosso corpo, o poder da alma é capaz de modificar a “hora assinalada”.

Anúncios