Antes de iniciares a tarefa de mudar o mundo, dá três voltas na tua própria casa (Provérbio chinês).
be_the_change_you_wish_to_see_8940
Esses dias tenho pensando muito sobre a verdade. A verdade no sentido do que é irrefutável, a verdade universal, a verdade da qual ninguém pode discordar. Algumas delas são: “ninguém está ficando mais novo”…”a morte é certa e inevitável”. Você pode ter uma filosofia, uma religião, uma ética, uma política diferente da minha, mas você não pode refutar que estas verdades são verdades.
A verdade que gostaria de falar sobre neste texto é a verdade de que ninguém muda ninguém. Ou seja, cada um de nós é responsável apenas pelos seus próprios atos. Eu posso dizer para você para você continuar lendo este texto ou para assinar a nossa lista e receber os novos textos em seu email, mas, em última instância, cabe a você e só a você continuar lendo ou assinar.
mudar-o-mundo2Me parece uma verdade irrefutável… dentro de certos limites do nosso universo, cada um tem liberdade para agir (ou não agir) como quiser. E, com esta outra verdade, nós temos que não podemos controlar o comportamento das outras pessoas.
Por exemplo, você pode descobrir os horrores que são feitos com os animais através do filme “A carne é fraca” e se tornar vegano(a), mas você não pode fazer com que o mundo todo – ou mesmo a sua família – tome decisão idêntica. Você pode entrar em uma nova religião e, de igual modo, ainda que você sinta que todas as pessoas deveriam se converter, você simplesmente não tem poder para isso.
Enfim, existe uma liberdade que é indissociável do ser humano, é uma liberdade contingente, circunstancial, mas é liberdade. Assim como eu tenho, você também tem e todos tem. Por isso, podemos tentar controlar o comportamento de outras pessoas, influenciar, persuadir, mas a escolha final – dizer sim ou não – é de cada um.
Poderíamos mudar o mundo, quem roubou nossa coragem?

Portrait of a boy with the map of the world painted on his face.

Na música “Quando o sol bater na janela do seu quarto”, Renato Russo faz essa pergunta: “Até bem pouco tempo através, poderíamos mudar o mundo / quem roubou nossa coragem?” É uma questão fascinante. Quando somos adolescentes temos muitos sonhos e esperanças e a vontade de ver um mundo melhor, com mais harmonia, paz e felicidade.
Com o tempo, vemos que não é tão simples. Não é só ter um pouco de boa vontade, um sorriso no rosto e disposição. É preciso comer, ter um lugar para morar, e – lentamente e progressivamente – o interesse se direciona para as próprias necessidades. Não é que se trate de egoísmo… creio que a palavra é necessidade.
Além disso, vamos nos deparando com desilusões. Pessoas que confiávamos não agem da maneira que esperávamos, da pessoa próxima ao presidente. E então, parece que ficamos sem saída. Mas existe uma saída: é deixar de tentar mudar o mundo, mudar as outras pessoas, e passar a olhar para dentro e querer mudar a si mesmo.

Por Professor Felipe de Souza

Anúncios